Aprenda a analisar a vulnerabilidade do seu sistema de TI

Aprenda a analisar a vulnerabilidade do seu sistema de TI

Num mercado cada vez mais digital, a segurança da informação é uma preocupação crescente nas empresas. Os dados gerados diariamente são o bem mais precioso das organizações e, devido às leis de proteção de dados, é necessário garantir todo o cumprimento dos requisitos legais para que a empresa não seja penalizada. É essencial saber analisar a vulnerabilidade de um sistema de TI. No artigo de hoje, deixamos-lhe dicas importantes para que possa analisar a vulnerabilidade do seu sistema!

Mas, afinal, o que é uma análise de vulnerabilidade de TI?

Esta análise está inserida dentro da política de segurança da informação. É necessário que a empresa tenha uma política rígida nesta área. A análise de vulnerabilidade é um processo contínuo de definição, identificação, categorização e monitorização de falhas de segurança em todo o contexto que envolva lidar com as informações sensíveis do negócio. Este diagnóstico é capaz de qualificar os processos de decisão dos gestores com o objetivo de garantir a estabilidade, confiabilidade e disponibilidade dos dados, sistemas e infraestrutura geral do negócio.

Etapas para fazer análise de vulnerabilidade

1 – Faça um levantamento das possíveis ameaças

Recolha informações sobre os seus processos de tecnologia e enumere as principais ameaças que podem colocar o seu sistema em risco, tais como perda de dados, desastres naturais, softwares desatualizados, falhas de sistema e erro humano.

2 – Crie uma matriz para cada ameaça

A matriz de riscos é formada por duas componentes: probabilidade de ocorrência do risco e o impacto que terá caso ocorra a ameaça. A probabilidade divide-se em quase certo, alt, média, baixa e rara. O impacto pode ser gravíssimo, grave, médio, leve e sem impacto. Quanto maior for o risco e o nível de impacto da ocorrência, mais atenção deverá ser dada à situação.

3 – Defina um ranking de importância

Após colocar todos os itens na matriz de risco, é necessário criar um grau de importância por ordem de gravidade e urgência de resolução. É preciso separar o que é relevante para o negócio e o que não tem tanta importância. Nesta etapa deve também atribuir responsabilidades à equipa de TI, para que esta possa agir de imediato caso aconteça alguma situação prejudicial para o negócio.

4 – Defina medidas de correção

Este é o passo mais importante de todo o processo pois é aqui que vai definir a sua estratégia de ação para cada ameaça. Aqui vai definir medidas preventivas e de atuação após acontecer o problema. Neste etapa poderá ter que consultar uma equipa externa em segurança de informação, pois será a equipa indicada para lhe indicar as soluções mais adequadas à sua realidade.

5 – Avalie continuamente as vulnerabilidades

Após a aplicação de todos os passos e implementação das medidas de correção, é preciso idealizar um plano para que haja uma avaliação constante das vulnerabilidades do sistema de TI. É importante que as equipas de TI saibam sempre o que se passa nos sistemas para que possam agir antes de haver estragos irrecuperáveis.

Sobre o autor

andreia.rocha administrator

Deixar uma resposta