Blog

Big Data: Porque utilizar esta tecnologia

Sabe o que é o Big Data? E sabe de que forma esta tecnologia pode ajudar o seu negócio? Se a sua resposta é não, deverá continuar a ler este artigo.

Big Data Analytics é o processo de recolher, organizar e analisar grandes conjuntos de dados digitais por forma a descobrir padrões e informações úteis. O Big Data permite, através de algoritmos matemáticos, mostrar padrões, correlações, tendências e prever evoluções futuras. O cruzamento ou correlação destes dados pode auxiliar as empresas, seja qual for a sua dimensão, de forma a identificar os dados e padrões comportamentais mais relevantes para as decisões da organização.

Abaixo apresentamos-lhe aqueles que são os principais benefícios desta tecnologia, e como estes podem ser, na prática, muito úteis para qualquer negócio.

MAIOR CLAREZA SOBRE OS SEUS DADOS E TOMADA DE DECISÕES MAIS EFICIENTES

O Big Data Analytics permite aceder a dados que dificilmente iria encontrar na rede da sua empresa, sendo que o esforço de tentar encontrá-los manualmente representa uma clara fonte de ineficiência que infelizmente ainda consome uma vasta maioria das organizações. Todos esses dados estarão catalogados, reduzindo tempo e aumentando a transparência e a clareza.

As informações sofisticadas obtidas por meio do Big Data podem permitir ao seu negócio minimizar riscos e conhecer informações valiosas na estratégia da sua empresa, suportando assim as decisões mais importantes.

MAIS INFORMAÇÃO SOBRE O NEGÓCIO

Com a acumulação e criação constante de dados digitais, o Big Data permite-lhe recolher a informação mais precisa e detalhada sobre cada aspeto da empresa. Informações tão diversificadas como inventários ou marcação de ponto dos colaboradores são dados recolhidos automaticamente e armazenados que estarão disponíveis em segundos, aumentando o desempenho global da sua empresa.

MELHOR SEGMENTAÇÃO DO PÚBLICO

Conhecer o seu consumidor e ir de encontro com os seus gostos, é algo que qualquer negócio almeja ter. Em resultado de uma muito mais ampla análise de dados, o Big Data permite uma segmentação mais estreita do consumidor, e por isso a criação de produtos e serviços mais personalizados e direcionados.

USAR PARA TRANSFORMAR AS OPERAÇÕES

Os dados recolhidos e tratados por este meio permitem que os gestores de negócios usem a ciência em vez da intuição, para assegurar o caminho das empresas, baseando as suas decisões em factos, padrões e correlações sobre o comportamento do cliente.

PREVISÃO DE VENDAS

Os algoritmos permitem produzir previsões objetivas e claras das vendas do seu negócio, através de padrões e correlações de insight.

COMPREENDA O SEU CLIENTE

Os clientes e prospects têm em comum um aspeto muito relevante para o seu negócio: as informações sobre o que pensam sobre ele. A sua empresa já possui essa informação em e-mails, respostas de pesquisa, entrevistas ou reuniões, que se tornam informações preciosas na avaliação do seu cliente e na forma como o deve abordar. Esta informação poderá ser de difícil processamento para um comum mortal, mas para o Big Data torna-se extremamente simples reunir e analisar todas essas informações.

RECONHECIMENTO DE ERROS INSTANTANEAMENTE

A perceção dos erros em tempo real permite que as empresas possam mitigar os problemas futuros e poder salvaguardar o negócio quanto a paragens desnecessárias.

Estes são apenas alguns dos benefícios para que o seu negócio cresça com o Big Data. Do que está à espera para aderir à transformação digital?

Investimento em cibersegurança

investimento do mercado mundial em cibersegurança aumentou, sendo estimado que durante todo o ano de 2020, cresça até 5,6% segundo dados do estudo da CanalysO investimento deverá atingir os 43,1 mil milhões de dólares em serviços de segurança de redes, endpoints, web, e-mails, vulnerabilidades e análises de segurança.  

36% dos gastos correspondem à manutenção da segurança da rede. Este aumento generalizado foi consequência do aumento do trabalho remoto e da necessidade das empresas conseguirem manter-se competitivas. 

Investir na cibersegurança permite-lhe afastar ameaças virtuais e por isso proteger financeiramente a sua empresa e os seus clientes. Sempre que os clientes se apercebem que põe em risco os seus dados estará, consequentemente, a perder a sua confiança. 

Conheça 4 motivos pelo qual deve investir na cibersegurança: 

Confidencialidade 

Apenas os utilizadores ou sistemas com permissão podem ler e manipular determinadas informações sensíveis. Manter o controlo de acesso permite que os dados não estejam vulneráveis a softwares maliciosos ou hackers. Manter a confidencialidade através da encriptação de dados, é uma das técnicas mais seguras e eficazes. Mesmo que haja fuga de dados, os hackers não serão capazes de descodificar a informação extraída. 

Integridade 

Fazer com que a informação não seja modificada por terceiros é fundamental. Quando os dados são alterados por terceirosdeixam de ser confiáveis, minando toda a credibilidade dos seus sistemas de informação. 

Produtividade 

A partilha, troca de dados e documentos através da cloud é algo que aumenta significativamente a produtividade das equipas. Investir na nuvem permite que, onde quer que estejam, através da ligação à internet, as pessoas podem manter-se continuamente ativas. Para que as equipas se foquem no essencial, as empresas podem criar filtros que bloqueiem o acesso a qualquer página que não tenha ligação com ambiente do trabalho, criando um maior foco nas tarefas a realizar. 

Ataques Direcionados 

Muitos dos ataques na internet são direcionados a determinados alvos. Os hackers sabem bem de que forma devem agir para atingir os seus alvos, e as redes sociais e o email são um veículo muito comum para propagação de links maliciosos. Para conseguirem direcionar-se a determinada empresa, os hackers exploram primeiramente as fragilidades da sua rede de parceiros e contactos, procurando assim um ponto fraco que viabilize a sua entrada. 

RGPD: Principais caraterísticas e como evitar multas.

Passados dois anos sobre a entrada em vigor do RGPD na União Europeia, recordamos aqui as suas principais características. 

O Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD), Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril de 2016, apresenta um conjunto único de regras relativas à proteção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais e à livre circulação desses dados. 

Este regulamento entrou em vigor a 25 de Maio de 2018, e aplicam-se a empresas que tenham o seu estabelecimento no território da União Europeia.  

Esta lei surgiu principalmente devido ao impulso do comércio eletrónico, com o intuito de proteger e garantir um maior nível de segurança aos consumidores europeus neste ambiente digital. O novo regulamento vem definir de que forma, empresas e entidades públicas, procedem à recolha e tratamento dos dados pessoais dos seus clientes.  

 

Principais aspetos a reter sobre o RGPD: 

  • Abrange todas as organizações que forneçam serviços ou produtos a residentes na UE, estejam essas organizações sediadas ou não na UE e mesmo que os serviços que prestam sejam gratuitos. 
  • As empresas terão que controlar a recolha e tratamento dos dados, para além de terem que obter a autorização dos consumidores para o processamento dos seus dados. 
  • A definição de dados pessoais passou a incluir os dados de localização e identificadores por via eletrónica, endereços de clientes, históricos de compras, acessos, endereços de e-mail, IP’s, informações de funcionários.  
  • Abrange qualquer atividade, independentemente da sua dimensão, incluindo a responsabilidade direta dos subcontratantes. Basta que recolham e/ou manipulem dados de cidadãos europeus. 
  • Implementação de técnicas dentro da organização que cumpram a segurança dos dados em termos de confidencialidade, integridade, disponibilidade e resiliência dos sistemas. 
  • Caso exista uma fuga de dados pessoais, a empresa terá que notificar as autoridades competentes, no prazo de 72h após ser detetada a violação (exceto se for improvável que resulte em risco para os direitos e liberdades dos indivíduos). Devem notificar os indivíduos afetados pela fuga da possibilidade de acesso não autorizado à informação. 
  • Não é possível aos menores de 16 anos darem o seu consentimento ao tratamento dos seus dados pessoais em serviços online, sendo necessário o consentimento parental.
  • Penalizações por incumprimento das normas do GDPR implicam multas até 20 M€ ou 4% do volume de vendas anuais. 

COMO AUMENTAR A SEGURANÇA DOS DADOS DA SUA EMPRESA

Ter uma tecnologia que permite às empresas lidar com a quantidade abismal de dados, que são criados diariamente, poderá trazer diversas vantagens. No artigo de hoje, apresentamos-lhe algumas formas para que os seus dados se mantenham intocáveis

Armazene na Cloud

A utilização da Cloud para além de reduzir os custos, através da eliminação de infraestruturas caras, complexas e por vezes obsoletas como os datacenters, permite um armazenamento ilimitado e extremamente seguro. Ao armazenar na Cloud terá a vantagem de qualquer colaborador conseguir aceder aos documentos, através de um dispositivo com acesso à Internet.

 Avalie os riscos

É importante avaliar os riscos que poderá correr e implementar medidas preventivas dentro do seio empresarial. Por exemplo, ao restringir o uso de equipamentos amovíveis para transportar informação, vai permitir reduzir a possibilidade de entrada de software maliciosos.

Invista num antivírus

Manter a proteção dos dispositivos com um bom antivírus é essencial. Uma versão gratuita não assegura uma proteção completa, por isso é recomendado a obtenção de uma licença para o efeito. O antivírus poderá ser fundamental para salvaguardar os dados, no entanto não conseguirá proteger de todos os tipos de ataques que poderão acontecer, como por exemplo os que são efetivados por meio de links suspeitos. Recomendamos que o antivírus esteja sempre atualizado, para reduzir o risco de falhas.

Defina regras e níveis de proteção

Quando são definidos níveis de proteção a acessos a diferentes pastas, ou arquivos, o nível de segurança das informações será superior. Planear sobre as estruturas das organizações e do funcionamento do negócio, fará com que as segmentações das permissões não prejudiquem o dia a dia dos colaboradores.

Tenha uma boa política de Backups

Ao definir uma política de backups regulares na sua empresa, estará a garantir que os dados estarão sempre protegidos. Esta é a melhor forma, caso aconteça uma falha acidental dos sistemas, evitar prejuízos para a atividade.

Coronavírus e ataques informáticos: saiba como se proteger

Os hackers aproveitam os momentos mais frágeis para lançar golpes informáticos e roubar dados. As ameaças digitais têm sido imensas nas últimas semanas, pois os responsáveis por elas aproveitam-se da preocupação das pessoas relativamente ao novo coronavírus ou Covid-19. Existem muitas pessoas que procuram informações sobre a doença e os hackers aproveitam isso para enviar mensagens com notícias falsas. Desta forma, espalham uma série de malwares, criados com o objetivo de roubar informações, sejam elas corporativas ou pessoais. De seguida, deixamos 5 dicas para se proteger dos ataques informáticos nesta época!

Ler mais

Como proteger a informação da sua empresa em tempos de coronavírus?

O coronavírus começou a ser noticiado em finais de 2019. Já atingiu quase 200 países em todo o Mundo e tem feito vítimas mortais um pouco por toda a parte. Vivemos uma época de pandemia e não só a nossa saúde será afetada, como também a “saúde” das empresas se verá ameaçada. Uma grande parte das organizações tem adotado o teletrabalho como forma de proteger os seus colaboradores e impedir a disseminação da doença. Numa era em que todos temos que ser mais conscientes no que diz respeito à proteção, é essencial não descurar a segurança dos dados com os quais lidamos diariamente. No artigo de hoje, vamos perceber como podemos proteger a informação em tempos de coronavírus!

Ler mais

Saiba como aplicar os 3 pilares da segurança de informação na sua empresa

A segurança da informação refere-se à união das ferramentas, estratégias e políticas que garantem a proteção e a integridade da informação. Os pilares da segurança da informação sustentam a estrutura das soluções, métodos e ferramentas colocadas em prática para garantir que os dados se mantêm seguros e privados. Integridade, confidencialidade e disponibilidade são os pilares que alicerçam a segurança de qualquer empresa. Veremos, de seguida, como podemos aplicar cada um eles na sua empresa!

Ler mais

Como ultrapassar os desafios atuais da segurança da informação?

A era digital trouxe inúmeros desafios pela complexidade das relações em rede que os atuais sistemas de informação proporcionam. Os ambientes atuais de TI estão expostos a diversas vulnerabilidades, seja de comunicação, armazenamento ou erro humano. Hoje em dia, é essencial saber lidar com ataques informáticos e com eventuais exposição de dados. A segurança da informação enfrenta todos os dias desafios novos e inesperados. Como ultrapassá-los? É o que iremos descobrir neste artigo!

Ler mais

5 Conselhos para manter as suas bases de dados seguras

Atualmente, vivemos conectados. Acedemos às redes sociais várias vezes por dia, lemos e-mails a toda a hora, colocamos os nossos dados bancários na web para podermos fazer compras online, entre muitas outras ações. Todas elas, independentemente dos cuidados que temos, podem trazer riscos para as organizações. Os cuidados básicos como configurar antivírus ou “fugir” de links suspeitos não são suficientes nesta era em que os nossos dados estão tão expostos. E, nunca antes como agora, a informação foi tão importante para as empresas. O roubo de dados confidenciais pode mesmo condenar uma empresa ao seu fim. Por isso mesmo, preparamos um artigo com 5 conselhos para manter as suas bases de dados seguras!

Ler mais

LGPD: O que diz a nova lei de proteção de dados brasileira?

As pessoas devem ter controle sobre os seus dados pessoais e devem compreender o quadro legal dos negócios digitais. Isto porque, infelizmente, muitas vezes os dados pessoais dos usuários são capturados de forma ilícita, o que pode comprometer a sua privacidade. Todo este cenário levou à criação do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) para a União Europeia, que entrou em vigor em maio de 2018, e agora o Brasil prepara-se para ajustar à nova lei, muito semelhante à que já existe na Europa. Após mais de oito anos de debates na sociedade civil, chega a Lei no 13.709/2018, a Lei de Proteção de Dados Brasileira. A legislação (LGPD) foi sancionada no dia 14 de agosto de 2018 e a previsão é que entre em vigor, definitivamente, este ano. No artigo de hoje, vamos conhecer os pontos principais desta legislação.

Ler mais